sexta-feira, 5 de abril de 2013

Silenciosa e fatal: Pneumonia - Parte 1



Há tempos venho prometendo um post que explique como acontece a pneumonia.
Mas a vida anda corrida demais, mudanças de rotina e da saude do Anjo, além de que estamos nos preparando para mudar de residência...dentre tantas outras coisas pra por em ordem depois de tanto tempo no hospital, que mal me sobra pensamentos para escrever sobre qualquer assunto, ultimamente me restrinjo a "curtir" comentários no facebook, e já me basta.
Mas a fim de cumprir a promessa, cá estou para falar desse problema que em muito pertubou a nossa vida ano passado (2012).
Das 12 vezes que o Angelo foi internado no Ano de 2012, em apenas 4 não foram com diagnóstico de pneumonia, e mesmo assim, no final acabava aparecendo la uma pneumoniazinha discreta  a prolongar nossa estadia hospitalar para evitar problemas futuros.
Das muitas vezes que o Anjo apresentava os sinais de infecção pulmonar, levei broncas e críticas dos meus familiares, do tipo "ele tá assim porque dorme sem roupa" ou "é porque você coloca o ventilador em cima dele".
O que a maioria das pessoas não sabem é que resfriado não é a única coisa que pode acabar em pneumonia, e muitas vezes não tem a menor relação com esses fatores citados acima.
Em primeiro lugar, crianças que ficam em unidades de terapia intensiva logo após o nascimento (uti neo) por um longo período, tendem a se adaptar a uma rotina totalmente diferente das que nascem normalmente e vão para suas casas.
Nas UTIs, os horários de alimentação são regulados, a temperatura é controlada nas incubadoras e mesmo fora delas, o ar condicionado geralmente é com temperatura muito baixa, considerada muito inferior ao ambiente normal, como a de uma casa comum por exemplo. Além disso as crianças ficam sem roupas para facilitar o manuseio dos médicos e enfermeiros na questao de exames, etc.
Por este fato é comum ver mães de crianças que ficaram por longo período em uti, relatar que seus filhos levam meses e as vezes anos para perder os hábitos adquiridos no ambiente hospitalar, como a temperatura ambiente mais baixa, a organização da cama. Normalmente os pais tem que adaptar o berço com a mesma característica dos leitos de incubadoras para que seus filhos consigam dormir tranquilamente.

Além deste fator, quando falamos de crianças neuropatas, estamos também falando de um organismo cujo o metabolismo trabalha de forma mais intensa para suprir suas carências.
Outra coisa muito comum de se ouvir das mães que conheço nas utis, é de que seus filhos sentem calor acima do normal, que suam acima do comum e que geralmente precisam de ar condicionado com baixa temperatura para conseguir dormir bem. Na maioria dos casos, a temperatura normal de um neuropata é em torno de 37 a 37.5, o que para a maioria das pessoas poderia ser considerado já um estado de febre.

Todos esses fatores devem ser considerados quando falamos de uma infecção em uma criança especial, principalmente em se tratando de pneumonia.
Entretanto, mesmo as crianças comuns podem sofrer dos mesmos problemas e da mesma fragilidade para a infecção pulmonar, pois pode acontecer por alguma bactéria, fungo, parasita ou por aspiração.

As pneumonias bacterianas podem ser contraídas pelo ar desde um ambiente comum, a um ambiente hospitalar. Muitas vezes o indivíduo é internado para uma cirurgia ou um tratamento qualquer, e acaba levando de brinde uma pneumonia. Existem algumas bacterias que se encontram com grande presença em hospitais, e de acordo com o tempo em que se fica exposto a este ambiente, maior a probabilidade de contaminação.

A famosa gripe mal curada (o resfriado) também pode ser um fator determinante para uma pneumonia, pois o acúmulo de secreção nas vias aereas (o comum nariz escorrendo) pode acabar prejudicando as vias inferiores (bronquíolos, alvéolos, partes do pulmão) e essas secreções nessas vias podem impedir a passagem do ar e causar problemas ainda mais graves, até mesmo levar a morte.


Tratando do assunto de forma didática, aqui vão algumas definições médicas sobre o que é pneumonia:

"Pneumonia é o nome que damos à infecção do pulmão. Para sermos mais precisos, a pneumonia é a infecção dos tecidos pulmonares e seus alvéolos". (www.medsaude.com)

"Pneumonia é uma doença inflamatória no pulmão afetando especialmente os sacos de ar microscópicos (alvéolos) associada a febre, sintomas no peito e falta de espaço aéreo (consolidação) em uma radiografia de tórax."  (wikipedia)

A definição das causas e efeitos da pneumonia, conforme alguns fatores que citei mais acima, são melhor explicadas neste texto do site MedSaúde, confira:

"A pneumonia pode ser causada, em ordem decrescente de frequência, por: bactérias, vírus, fungos e parasitas. Nenhum destes germes que causa pneumonia é contagioso. A maioria das pneumonias são de origem bacteriana. As bactérias que mais habitualmente provocam pneumonia são: Streptococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae, Haemophilus influenzae, Moraxella catarrhalis e Staphylococcus aureus. Na verdade, pegar pneumonia não é termo mais apropriado, uma vez que este passa a ideia de transmissão da doença entre indivíduos. A pneumonia não é uma doença contagiosa como a gripe ou tuberculose. Você pode entrar em contato com um paciente com pneumonia, que não haverá risco de contaminação." (medsaude.com) 

Alem das formas descritas acima, outro fator que causa pneumonia é a aspiração (ou broncoaspiração, como dito na linguagem médica).

Segundo o dicionário online da língua portuguesa (www.dicio.com.br) entende-se por aspiração:
s.f. Primeiro movimento da respiração.
Sinônimo de aspiração: absorção, absorvência e sucção

Deste modo, uma pneumonia aspiratória acontece quando alguma propriedade que não o  ar, é aspirado (absorvido) pelas narinas ou boca e levados até os pulmões. Na maioria dos casos são alimentos, podendo também ser a própria saliva ou por afogamento.


Segundo o site ABC da saúde, entende-se por pneumonia aspiratória:

"Este tipo de pneumonia ocorre quando acontece a entrada de líquidos, secreções do próprio corpo ou outras substâncias, da via aérea superior ou do estômago para dentro dos pulmões. A partir daí, é desenvolvida a pneumonia que, geralmente, é causada por um anaeróbio – bactéria que pode viver na 
ausência de oxigênio. Muitas vezes o conteúdo que é aspirado para um ou ambos pulmões é o suco 
gástrico do estômago, o qual, por ser ácido, inicialmente causa uma pneumonite (inflamação) nos 
pulmões; após isso, ocorre o desenvolvimento da pneumonia propriamente. Consideramos via aérea superior o trajeto que se situa entre o nariz e as cordas vocais. 
Esta doença é mais freqüente em pacientes muito jovens ou nos idosos."


Acredito que com essas definições fica bem claro as causas da pneumonia. No próximo post vamos falar das formas de tratamento e consequências que a pneumonia causa nas pessoas, e em como isso afetou a vida do Angelo e a nossa vida como um todo.
Espero que este texto tenha sido útil e que possa ajudar a todos que, como eu, estão sedentos por informações que venham a esclarecer um pouco esse túnel escuro que é o "não saber" quando temos uma criança especial ou alguém com saúde fragil que depende de nossos cuidados e conhecimento.



"E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo.

E Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; sê limpo!" 
Mateus 8:2-3


6 comentários:

Maressa M Lula disse...

Parabéns, Drica. Fantastico e esclarecedor o post.

Adriana Rossi disse...

valeu mah...obrigada pelo comentario. bjs

Anônimo disse...

Obrigada prima, mês passado o Emerson estava com pneumonia e era bem de gripe mal resolvida, mas eu não sabia das demais causas e peculiaridades... Mil beijos! Deus abençoe!

Adriana Rossi disse...

Brigada kah..bjos

Ian Curtis disse...

Oi, cheguei aqui pesquisando sobre os sintomas que minha bb de 3 meses apresenta pois saiu do UTI sem diagnostico...quero dizer que vc e seu filho são exemplos de vida, de amor e Fé! nada acontece por acaso e Deus esta seguramente no comando e seu filho ja e um vencedor lindo! Parabens vc e uma mae escolhida de Deus!

Adriana Rossi disse...

Obrigada Ian, seja bem vindo ao blog..e que de tudo certo na recuperação da sua filha . abçs =)